01 de Agosto
Genialidade de Tarsila do Amaral é apresentada de forma lúdica no último dia do 17º FIB

 

O espetáculo “Vila Tarsila”, voltado para o público infanto-juvenil, encantou pessoas de todas as idades neste domingo (31), último dia da 17ª edição do Festival de Inverno de Bonito (FIB). Sete artistas da Cia Druw, de São Paulo, fazem parte da peça que celebra a vida e a obra de Tarsila do Amaral, uma das mais importantes pintoras modernistas do Brasil.

A peça teatral apresentada em forma de dança, fala sobre a infância na fazenda e as brincadeiras que Tarsila gostava. “Abapuru”, nome da tela brasileira mais valorizada no mundo, é retratado como o melhor amigo imaginário da pintora quando criança. Os artistas também mostram em cena as viagens dela pelo mundo e como tudo isso influenciou o seu desenvolvimento artístico e seu universo antropofágico.

Segundo a diretora do espetáculo, Miriam Druwe, a ideia da peça é trazer para o público o resgate da importância da arte. Ela fala ainda que o FIB é um movimento muito rico para a cultura. “Nós, da companhia, estamos impressionados com o quão extenso e amplo é esse Festival. Com certeza as pessoas vêm pra cá, recebem toda essa expressão artística e isso reverbera de alguma forma na vida delas. A arte é algo que alimenta”, destaca Miriam.

Além da diretora que interpreta Tarsila do Amaral, fazem parte do espetáculo criado há oito anos outros seis bailarinos que também são atores. “A gente se utiliza da linguagem do clown, que é uma forma lúdica de mostrar uma mensagem. E nada melhor do que isso para falar de Tarsila, que era uma mulher inquieta, elétrica e à frente do seu tempo”, finaliza.

 

 

Texto: Débora Bordin

foto Daniel Reino